sexta-feira, 4 de novembro de 2016

NOVAS ESCRITORAS DO ACRE

Fiquei muto contente olhando o noticiário acreano e vendo que estão surgindo novas obras de autoria feminina, o protagonismo das mulheres escritoras no Acre finalmente está aumentando.
Resultado de imagem para quadro da moça lendo o livro

As mulheres no Acre foram sempre excluídas e silenciadas e foi grande a dificuldade para começarem a publicar, elas começaram escrevendo em jornais, como o Jornal Talismã, em 1913, em Xapuri, que era um jornal só de mulheres. Elas escreviam cartas, poemas e contos nos jornais, do mesmo modo como aconteceu nas outras cidades brasileiras com destaque para Rio de Janeiro e São Paulo.
A primeira mulher a publicar um romance no Acre foi Florentina Esteves, nos anos noventa, denominado O EMPATE, enquanto os homens começaram a publicar em 1942, um livro em prosa, as mulheres tiveram a autonomia para fazer o mesmo já na década final do século XX, mostrando as dificuldades de ser mulher independente e escritora, em terras de Coronel de Barranco.
Agora, temos muita escritoras atuantes em Rio Branco e com muita grata surpresa vi uma reportagem no G1Acre falando de Laura Almeida, que somente com 18 anos publica um romance que ela sonha que possa se tornar um filme. 

Vejam a integra da reportagem logo abaixo:
Marcado por suspense e muitas reviravoltas, o romance policial Codinome Valery foi lançado em Rio Branco pela jovem autora Laura Almeida, de 18 anos. A história de Valery passou a ser construída pela acreana quando ela ainda tinha 17 anos. O livro foi lançado em Rio Branco na última sexta-feira (12).
A personagem principal é, segundo a própria escritora, uma mulher nada comum que muda completamente de vida ao se mudar para Albany, na Califórnia. Porém, Valery acaba reencontrando um amor do passado, o que faz ela repensar sua vida. A obra foi financiada pelo Fundo Municipal de Cultura.
A acadêmica de Biomedicina conta que começou a escrever quando ainda tinha apenas 14 anos. Seu primeiro livro possui influência dos filmes de ação e terror dos quais é fã.
"Estou muito feliz. É uma coisa que vai ficar eterna. Eu, como aluna de escola pública, jamais imaginei que aos 17 anos, recentemente com 18, iria publicar um livro meu. Foi um sonho, estou sem palavras ainda. A Valery teve um começo de vida difícil, isso fez com que ela se tornasse uma pessoa diferente, sem aquele senso de ser boa com as pessoas", explica. 
Superdotada
Quando ainda estava na 4ª série, Laura foi descoberta pelo Núcleo de Atividades de Altas habilidades e Superdotação (NAAH/S) na área de artes, desenvolvendo habilidades em língua estrangeira e na escrita. Segundo a escritora, uma professora indicou que a família procurasse o núcleo após perceber que ela tinha vocação para as artes.
"Eles me acompanharam até o ensino médio. Isso foi um apoio muito importante para o desenvolvimento do meu talento", conta.
Família incentivou autora acreana que lançou seu primeiro livro em Rio Branco  (Foto: Laura Almeida/Arquivo Pessoal)Família incentivou autora acreana que lançou seu
primeiro livro em Rio Branco
(Foto: Laura Almeida/Arquivo Pessoal)
Paixão pela leitura
O amor pela leitura e escrita surgiu muito cedo na vida da escritora. A família teve papel importante no incentivo para que Laura levasse adiante a paixão pelos livros e filmes.
Ela conta que a mãe e as tias são professoras e o pai compunha músicas sempre próximo da filha e todos a incentivavam.
"Tudo surgiu no meu núcleo familiar, sempre me apoiaram e estou muito feliz com isso. Não sei o que seria da minha vida sem a leitura. A leitura ajuda muito, melhora sua fluência e pensamento", afirma.
Próximos capítulos
A história de Laura, assim como o de vários personagens criados por ela, está apenas começando. Após o lançamento do livro, os sonhos da jovem escritora agora são ainda maiores e por ela podem chegar até mesmo às telas dos cinemas. "É um sonho, quem sabe Deus reserve isso para o meu futuro", finaliza.
O livro está sendo vendido por R$ 15 e, por enquanto, são entregues conforme pedidos na página do Facebook da escritora.
FONTE: http://g1.globo.com/ac/acre/noticia/2016/08/aos-18-anos-jovem-escritora-lanca-livro-marcado-por-suspense-no-ac.html
Colaborou Mariana Tavares, da Rede Amazônica Acre.